Perguntas Frequentes

Home Perguntas Frequentes

1. O que são fertilizantes?

Os fertilizantes são compostos químicos utilizados na agricultura para nutrir as plantas e, consequentemente, conseguir um ganho de produtividade. Os fertilizantes podem ser minerais, orgânicos ou organominerais, sendo os últimos uma mistura entre os anteriores.

No Brasil, a revolução verde no Cerrado, se deu pela recuperação de terras degradadas pelo uso adequado de calcário, fertilizante e tecnologias, transformando-as em terras produtivas e consequentemente aquecendo a economia e gerando empregos. Segundo o professor Alfredo Scheid Lopes, graças a essa revolução, hoje no país pagamos 1/3 do valor da cesta básica se comparado há 30 anos atrás.

2. Para que servem os fertilizantes?

Os fertilizantes são utilizados para fornecer às plantas elementos essenciais para seu desenvolvimento, garantindo assim plantações mais saudáveis e resistentes.

Segundo projeção da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) para a necessidade de produção mundial de alimentos até 2020, o Brasil precisa aumentar em mais de 40% a sua produção agrícola para contribuir com as demandas internas e de outros países. Somente com o uso de fertilizantes será possível atingir esse objetivo.

O uso eficiente dos fertilizantes é importante para maximizar a produtividade das culturas e contribuirá para a qualidade do solo, para a saúde vegetal e humana.

Para alimentos saudáveis, é necessário que os fertilizantes sejam usados em quantidades que forneçam os nutrientes na forma adequada aos vegetais que serão consumidos pelos animais e pelo homem.

Por exemplo, atualmente 1/3 da população mundial tem deficiência em zinco. Em pesquisa recente apresentada no encontro anual do Harvest Zinc, a aplicação foliar do zinco em 28 experimentos em 7 países provocou um incremento de 84% desse mineral nos grãos. Este é um grande exemplo da importância da fertilização para a saúde humana, uma vez que aproximadamente 500.000 crianças abaixo dos 5 anos morrem anualmente por deficiência deste nutriente, problema que poderá ser resolvido com a apropriada nutrição das plantas.

3. Qual a diferença entre fertilizantes orgânicos e inorgânicos?

Os fertilizantes orgânicos são obtidos a partir de matéria de origem vegetal ou animal como esterco, farinhas, bagaços, cascas e restos de vegetais decompostos ou ainda em estágio de decomposição. Esses materiais podem ser usados in natura ou produzidos pelo homem por meio, por exemplo, de compostagem.

Os fertilizantes inorgânicos por sua vez, são obtidos através da extração de depósitos minerais ou, no caso do nitrogênio, retirado do ar. Os fertilizantes inorgânicos geralmente são sais dos principais nutrientes necessários às plantas, como o nitrogênio, potássio, fósforo, entre outros.

4. O que é melhor, adubação orgânica ou inorgânica?

Em ambas formas de adubação existem vantagens, inclusive podem ser utilizadas de forma integrada.

A adubação orgânica, além de fornecer nutrientes, aumenta a biodiversidade do solo, a retenção de água e de nutrientes, além de outros benefícios. Na adubação inorgânica a grande vantagem está no fato dos fertilizantes conterem altas concentrações de nutrientes, o que facilita o transporte e a aplicação, resultando geralmente em menores custos. Além disso, os fertilizantes inorgânicos podem ser formulados de maneira flexível para atender as exigências específicas de culturas e solos.

As plantas não distinguem as fontes de nutrientes, se é mineral ou orgânica, pois os nutrientes são absorvidos nas mesmas formas químicas.

5. Os fertilizantes são prejudiciais à saúde?

Não. Os fertilizantes contêm nutrientes de plantas que em geral são os mesmos dos animais – humanos incluídos. Por exemplo, as plantas utilizam o nitrogênio dos fertilizantes para sintetizar proteínas, a mesma classe de moléculas que constitui nossos músculos. O fósforo fornecido às plantas é o mesmo que faz parte dos nossos ossos e dentes. Como todos os produtos. É muito importante que os fertilizantes sejam utilizados de forma correta para garantir os benefícios esperados.

6. Os fertilizantes causam prejuízos ao meio ambiente?

Os fertilizantes só acarretam problemas para o meio ambiente caso sejam utilizados de forma inadequada, sem o manejo correto. Existem algumas regras básicas na Agronomia, conhecidas como conceito 4C, que prescrevem como fazer a escolha do fertilizante correto, na dose correta, no local de aplicação correto e na época correta.

7. Qual a finalidade da aplicação de fertilizantes e defensivos em sistemas agrícolas?

Os defensivos são utilizados para defender as plantações de pragas, doenças e da competição com outras plantas, que prejudicam a produção agrícola. Embora ambos, fertilizantes e defensivos, tenham suas funções na agricultura moderna, os fertilizantes são produtos com um papel distinto. Diferentemente dos defensivos, eles não visam controlar organismos que coloquem em risco as plantas cultivadas, mas sim alimentar essas plantas. Os fertilizantes são fontes de nutrientes, ou seja, de elementos minerais presentes na natureza.

8. Quais as vantagens em utilizar o Manejo 4Cs de nutrientes?

O manejo de nutrientes 4Cs utiliza as melhores práticas de gerenciamento de nutrientes (BPM – Boas Práticas de Manejo) para orientar a escolha da fonte correta de fertilização a ser aplicada na taxa correta, no momento correto e no local correto. O manejo correto/adequado da nutrição das plantas ocasionará consequentemente o aumento da produtividade das culturas.

9. Os alimentos orgânicos têm melhor valor nutritivo do que os produzidos com fertilizantes minerais ou químicos?

Em estudo publicado pela American Society of Nutrition em 2009, baseado em pesquisa no período de janeiro de 1958 a fevereiro de 2008, não foram encontradas evidências de diferença na qualidade de nutrientes entre alimentos orgânicos x convencionais. É importante que sejam levados em consideração os métodos de produção para uma análise mais aprofundada.

O estudo está disponível na página:

http://ajcn.nutrition.org/content/early/2009/07/29/ajcn.2009.28041.short

10. Por que precisamos usar fertilizantes?

Cada vez que colhemos uma planta ou um animal consome a pastagem, a parte da planta removida do campo leva consigo nutrientes. Às vezes esses nutrientes ficam na propriedade agrícola, como nas fezes dos animais, nas cascas ou restos das plantas processadas na fazenda. Nesse caso, os nutrientes podem facilmente retornar ao solo reciclando-os na forma de adubos orgânicos. No entanto, os nutrientes podem ser levados para muito longe. O milho ou o algodão produzidos no estado de Goiás (GO) podem ser consumidos em São Paulo – ou em locais muito mais distantes. Por exemplo, o Brasil é o principal fornecedor de soja para a China. Nos grãos da soja transportada além-mar, vão também os nutrientes.

Para manter o solo fértil e manter a produção dos novos cultivos os nutrientes precisam ser repostos ao solo. Algo semelhante ao que ocorre em uma conta bancária na qual todo dinheiro gasto precisa ser reposto para que ocorra um equilíbrio nas finanças. Dessa forma, os fertilizantes inorgânicos são imprescindíveis e estratégicos para a manutenção adequada da fertilidade dos solos e produtividade das plantas.

11. O que é lixiviação e como ela ocorre no solo?

Lixiviação é o processo de perda de nutrientes no perfil do solo, causada pela “lavagem” promovida pelas chuvas torrenciais e pela infiltração de água no solo. Para entender o conceito de lixiviação, podemos comparar o solo a uma esponja. Quando existe muita umidade, o excesso se movimenta pelos espaços porosos do solo para as camadas mais profundas, carreando os diversos compostos solúveis dissolvidos, incluindo os nutrientes de plantas (nitrogênio, potássio, etc.). Com isso, diminui a fertilidade do solo.

12. O que é a eutrofização e como ela ocorre no solo?

A eutrofização, ou eutroficação, é o fenômeno causado pelo excesso de nutrientes (principalmente nitrogênio e fósforo) nos ambientes aquáticos, principalmente rios e lagos, provocando o crescimento excessivo de algas e criando condições de falta de oxigênio e luz, o que provoca a morte de peixes e de outros seres aquáticos. No caso do fósforo, o potencial de contaminação da água por eutrofização no Brasil é bastante limitado. A sua concentração na solução do solo é baixa devido à interação desse nutriente com os minerais do solo, diferentemente do que ocorre em regiões de clima temperado, nas quais isso é um problema ambiental mais recorrente que no Brasil.

A eutrofização pode sobrevir naturalmente pelo transporte de matéria orgânica, que se acumula ao longo dos anos, configurando-se como um processo mais lento, ou pela ação do homem, quando são lançados na água produtos resultantes de atividades industriais e agropecuárias, bem como esgoto doméstico.

13. Os fertilizantes podem causar desequilíbrios no meio ambiente em decorrência da lixiviação e eutrofização?

Em geral, nas condições de cultivo no Brasil, o risco de contaminação ambiental por lixiviação e eutrofização é baixo, pois quando os agricultores utilizam os princípios do manejo de nutrientes 4C, definidos como o uso da fonte certa de nutrientes, aplicada na dose certa, no local certo e na época certa, associados ao adequado controle da erosão, os riscos de lixiviação e eutrofização diminuem consideravelmente. Em síntese, a lixiviação e a eutrofização são processos controlados na agricultura brasileira, e têm ocorrência limitada a situações muito específicas.